Para acessar o novo blog clique aqui

sábado, 27 de setembro de 2014

Lolita e feminista.

Há muito tempo penso em fazer um post em que relaciono lolita ao feminismo, porém sempre adiava me julgando incapaz de falar sobre isso. Agora tomei coragem e vou dividir a postagem em alguns pontos , apesar deles se comunicarem, para facilitar o entendimento,sendo eles: A cena lolita e o feminismo, a aparente incompatibilidade entre a moda e o feminismo (apontada nos comentários dessa postagem no blog da lola), o slut-shaming com as amiguinhas e a sororidade, e os homens na cena.


A cena lolita e o feminismo:
Sendo a cena um espaço predominante feminino em que as meninas são fortes e decidas (suas lindas XD), não seria estranho que houvesse uma boa parcela feminista e que fosse pela moda que eu começaria a me identificar com o movimento. Além disso, pela maioria ser adulta e estar cursando/ja cursou uma faculdade, o contato com o movimento é maior. Muitas da cena são militantes e estão ai sambando na cara da sociedade encarnando as deusas do rococó rendadas.


A incompatibilidade entre a moda e o feminismo (apontada nos comentários dessa postagem no blog da lola):
comentários:
"me desculpe, uma vida voltada para o "bonito" como estilo de vida, a coroa a Barbie etc, para mim, é a representação da opressão da mulher. Não vejo como ser feminista e não questionar estes símbolos.Sei que uma o oura coisas nós acabamos reproduzindo deste mundo consumista e opressor, mas adotar isso como estilo de vida e conciliar com o feminismo?Sei.."
"Como historicamente a opressão machista se manifesta em símbolos: coroa, padrões de beleza, cores separadas para homem e mulher, objetificação da mulher através do controle da aparência e o estímulo para a perseguir um ideal de beleza em detrimento da mulher agir na vida pública e política, etc etc..
Eu só queria saber como que alguém que reivindica o feminismo e o estilo de vida "frívola" concilia estes dois mundos. Só. Já que a pessoa se propôs fazer um post sobre este direito."


A discussão que essas pessoas levantaram deve sim ser levada em conta.Houve um tempo em que também me questionei sobre isso, que me questionei sobre o fato de costurar e bordar e fazer (e gostar) de tudo que é considerado "feminino".
Primeiro que a moda lolita em sua essência é apensa vestimenta e se transforma em manifestação variando de pessoa para pessoa (esse post aqui), ou seja, não existe na moda uma forma comportamental a ser ditada e mesmo que usamos estes símbolos citados anteriormente, eles não se transformam em opressão, obrigando a pessoa a ser frágil e submissa como é ditado no patriarcado, quebrando a relação simbolo-significância. Por isso, nós da cena tenhamos uma grande dificuldade em explicar para as pessoas que não é porque usamos uma moda "inocente" que somos submissas todas educadinhas e que cagamos arco iris. Creio que a questão é apropriarmos da coisa opressora e transformarmos em algo não opressor, em
protesto e em liberdade. Liberdade para escolher ou vestir um shortinho minusculo, ou uma saia de babado e ser respeitada. Protesto quando dizemos que não é porque nos vestimos assim que carregamos toda a bagagem opressora, tentando, na verdade, quebra-las.
De lolita ou de shortinho, quero respeito de domingo a domingo.


Nosso universo não gira em torno dos homens, não nos vestimos assim para agrada-los, pra sermos transformadas em fetiche, ou para reproduzir submissão.
A batalha que travamos com o nosso próprio machismo é diária e temos que nos policiar sempre, assim como qualquer outra militante que não veste coisas "frivolas"
O direito que a tatá "invocou" nesse quest post, era o direito de poder usar/gostar (ou não) de coisas fofas e não ser considerada menos feminista por conta disso.


O Slut-shaming contra as amiguinhas e a sororidade.


Creio que o a coisa mais machista que reproduzimos é o Slut shaming o qual a ichigo explica muito bem nesse post aqui e não vejo necessidade de escrever muito sobre se alguém já escreveu. Cansei de ver meninas dizendo "Minha mãe deveria agradecer por eu usar lolita. Antes lolita do que aqueles shorts parecendo uma calcinha". Gente, eu gosto de usar lolita, e gosto de usar shorts/saia curta, cade seu Deus agora?. O patriarcado nos jogaram umas contra as outras e você reproduz isso tentando justificar que é superior a alguém por causa do tamanho da sua saia. Não deveríamos entrar em guerra com as outras e sim nos apoiar, pra poder usar qualquer roupa que quisermos com respeito e sem julgamentos moralistas.
É ai então que entra o conceito de sororidade (que está muito fraco na cena) . Sororidade é o pacto entre as mulheres que são reconhecidas irmãs, sendo uma dimensão ética, política e prática do feminismo contemporâneo. Ouso dizer que sororidade é quando uma mulher apoia/ajuda a outra em qualquer circunstância, então pare para pensar antes de julgar as amiguinhas viu colega?



Os homens na cena:
Eles também merecem destaque já que vão contra tudo o que a sociedade prega como "masculino". Um homem, que se importa com a roupa que ele veste, gosta de detalhes, de coisas mais fofas é considerado menos homem por isso pela sociedade, sendo tachado de gay, como se ser gay fosse uma ofensa. Então eles também estão lutando conosco contra a opressão e por isso os poucos que participam da moda também se consideram feminista, ou pelo menos, indiretamente, contribui com a nossa luta. Eles também invocam o direito de poder usar o que quiser e ser respeitados por isso. Na cena pelo menos nos reconhecemos isso e vejo que as meninas dão total apoio para todos os meninos que ingressam nesse mundo. Também estamos com vocês moços.


Esse foi meu post para sambar na cara da sociedade, espero que tenham gostado, e se quiserem acrescentar algo comentem, críticas, elogios, e sa bagaça toda são bem vindas.
Deixo esse meme da luciana representando como me sinto, colar de beijos :***

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Lolita como arte

     Sempre que alguém diz que existe um certo "padrão comportamental" a ser seguido na moda, eu , assim como muitas, descordo. Antes, eu dizia que a moda era apenas moda, ou seja, roupas. Hoje, enxergo a moda como uma forma de arte e como arte está sujeita a várias interpretações e manifestações.
     Existe todo um "ritual" pra preparação de um outfit. O meu ritual, por exemplo, começa quando tenho uma ideia de costura para uma nova roupa, manifesto meus gostos e coloco um pouco de mim em cada detalhes. Depois, chega o momento de coordenação, escolho todas as peças e acessórios, normalmente, de acordo com a maneira que estou me sentindo no dia (levando em conta todos os fatores climáticos, ocasião e afins). Depois é hora de me vestir, 1 hora, 1 hora e meia, maquiagem, cabelo, tudo combinando, tudo expressando um pouco de mim, tudo como forma de arte, e assim me sinto a pessoa mais feliz e linda, porque consigo ser eu mesma, por um instante. Se você gosta de seguir os "padrões comportamentais" pois se identifica com isso, então siga, mas a moda não se resume a isso.
      Talvez, por usa a moda como forma de expressão, eu me entristeça muito quando tentam limita-la, ou quando as pessoas tentam argumentar para que eu pare de usá-la, porque eu não sou apenas lolita, a moda não é minha totalidade, mas é um grande pedaço de mim. Por isso, talvez, as vezes me sinto mais Miah do que Mikhaelle.
     Acima de tudo a moda lolita é uma moda plural. Não limite-a.